ARTIGO: Redes sociais e a indústria da moda

Redes Sociais e a indústria da moda

 

Redes sociais são modelos de relacionamentos criados ou expandidos a partir de ferramentas da Internet, com objetivo de conectar pessoas em todo o mundo, através de suas afinidades, gerando amizades, comunicação, e vínculos sociais. Essa experiência se dá pela criação de perfis, exibição de textos (pensamentos, comentários), imagens, músicas, fotos e vídeos pessoais.

 

Mais do que isso, as redes sociais, buscam um novo comportamento das pessoas para garantir compartilhamento de idéias e colaboração mútua. Não obstante os aspectos citados acima é preciso destacar ainda, que a opinião de cada indivíduo é cada vez mais valiosa e através das redes sociais, podemos aprender a ouvir nossos amigos, clientes, colaboradores, fornecedores, comunidade local, concorrentes, para entendermos suas opiniões, peculiaridades e características.

 

A palavra de ordem das redes sociais é: interação, já que outros meios como televisão, rádio e jornal deixam muito a desejar e estão engatinhando nessa questão de interagir com seus espectadores.

 

A experiência única de rever amigos distantes, conhecer pessoas que curtem e conhecem coisas que também admiramos é feita através de páginas da internet onde as pessoas se cadastram, tornando-se membros e passam a compartilhar sua vida ou parte dela com outras pessoas.

 

Vale ressaltar, também, que as redes sociais estão promovendo desenvolvimento social, idéias inovadoras, novos valores e atitudes. Pessoas acostumadas ao silêncio, estão colocando a boca no trombone e enfatizando suas opiniões.

Houve um caso muito interessante outro dia em que uma amiga estava contratando um Buffet para uma festa. Ela conheceu o lugar, verificou as instalações, acertou orçamento, mas antes de fechar o contrato procurou no Orkut pessoas que já tinham feito festa no mesmo lugar e nesta busca descobriu comentários de várias pessoas que falavam dos pontos fortes e fracos do Buffet. Em outras palavras, a decisão por fazer ou não a festa no local, foi definida através das experiências compartilhadas por pessoas que já tinham feito eventos no local.

 

Argumentação

 

Vou destacar três delas para termos uma compreensão.

 

O Orkut foi lançado pela Google em Janeiro de 2004, e só no Brasil conta atualmente com mais de 40 milhões de usuários, ou seja, mais de 1/5 da população total do país (188.298.099 habitantes conforme IBGE de 2006).

 

O Facebook foi lançado em Fevereiro de 2004, possui mais de 120 milhões de usuários em todo o mundo e segundo ranking do site Alexa (www.alexa.com/topsites) é o 2º site mais visitado no mundo. Já no Brasil fica em 25º lugar.

 

O Twitter foi lançado em Março de 2006, mas apesar de ser mais recente do que suas concorrentes, ele trouxe um novo conceito, que é a utilização de envio de mensagens através de celulares. Embora a empresa não divulgue os números reais, alguns estudos apontam para mais de 20 milhões de usuários no mundo.

 

MySpace é a maior rede social dos Estados Unidos e a número 1 no mundo, tendo mais de 220 milhões de perfis cadastrados. Foi criado em 2003 e tornou-se palco inclusive de muitas novas bandas que passaram a usar o espaço como site oficial da banda para divulgação e propaganda.

 

O Linkedin foi criado em Dezembro/2002 e lançado em Maio/2003, e conta com mais de 20 milhões de usuários no mundo e com foco diferenciado já que foca em relacionamentos para profissionais. Está presente em mais de 150 segmentos de negócios e tem convênios com algumas empresas que inclusive fazem a busca e recrutamento de profissionais através da ferramenta.

 

Com todo esse sucesso e mais e mais pessoas aderindo à novidade, as empresas e pessoas públicas começam a perceber que as redes sociais são uma valiosa ferramenta de publicidade, que gera retorno muito expressivo. Algumas empresas percebendo que trata-se de um bom negócio, estão contratando mão de obra especializada para se firmar nesse mercado tão atraente.

 

Alguns exemplos:

 

– Presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, usou as mídias sociais a seu favor, tanto durante a sua campanha à presidência como depois de eleito.

 

– Governo britânico incentiva que seus soldados façam uso de redes sociais para manter contato com seus familiares e amigos. No início os soldados precisam de permissão para usar as redes, mas as redes foram liberadas e os soldados podem inclusive contar sobre suas experiências no exército.

 

– Os bancos criam discussões e iniciativas para adentrar as redes sociais, pois sabem que seus consumidores estão cada vez mais engajados em canais de comunicação de caminho duplo.

 

Uma finalidade também muito interessante para as empresas é saber o que estão falando sobre sua marca ou produto. Se você entra em qualquer uma dessas redes e na busca digita o nome do produto ou marca, fica sabendo de muitas coisas que não estão explicitas sobre a empresa.

 

São poucas as marcas que chegam perto da popularidade de personalidades e celebridades, nas redes sociais, mas em um ranking de uma delas (Twitter) podemos ter uma noção de como algumas marcas estão à frente.

 

Ranking de marcas no Twitter:

 

17ª – Nike                   – http://twitter.com/nikebasketball

50ª – Adidas                – http://twitter.com/adidasrunning

79ª – Armani               – http://twitter.com/armaniexchange

95ª – Wilson                – http://twitter.com/WilsonTennis

96ª – Osklen                – http://twitter.com/Osklen

109 – Puma                 – http://twitter.com/PUMAGolf

156ª – Havaianas        – http://twitter.com/Havaianas

183ª – Renner            – http://twitter.com/lojasrenner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *